DIVULGAÇÃO
 
Arouca Film Festival volta à vila de 19 a 23 de Setembro
 
Cátia Camisão e João Rita, o 'casal' cinema de Arouca
Edição de 2018 recebeu quase oito centenas de filmes para selecção, nacionais e estrangeiros
 
  Outras acções...
 Enviar a um amigo
 sugerir site
O festival internacional de cinema está de volta à vila de Arouca, de 19 a 23 de Setembro, numa 16ª edição que pretende homenagear os primórdios do cinema e que, pela primeira vez, terá projectada um longa metragem nacional na cerimónia de abertura.
"O nosso motor de arranque é que pretendemos homenagear o início do cinema, basicamente tudo em volta do festival, o cartaz, o spot de promoção, tem a ver com os primórdios do cinema", disse ao RODA VIVA João Rita, director do Arouca Film Festival.
João Rita revelou ainda que, pela primeira vez, "o festival vai abrir com um filme português" como forma de destacar o melhor do cinema nacional.
O festival recebeu 785 candidaturas, mais 102 do que em 2016, e foram seleccionados 41 filmes, menos 20 do que na edição anterior. Questionado sobre estes números João Rita destacada o "impacto do festival a nível nacional e internacional" e nega a redução de qualidade das obras recebidas.
"A questão de mais ou menos obras não é tão relevante porque o júri de selecção avalia os filmes da forma que tem vindo a avaliar e uns podem ter mais duração que outros, e temos de respeitar um número limite de projecções, essa poderá ter sido uma das razões", justificou o director do evento, que acrescentou que "as obras apresentadas este ano ao festival de cinema superam as do ano anterior em qualidade".
Portugal é o país com mais filmes na selecção oficial do Arouca Film Festival, são 11 as obras nacionais a concurso no certame que, segundo o seu director, "tem o cuidado de tratar bem o cinema nacional porque o Arouca Film Festival é um evento português que nasceu com 100% de filmes portugueses" (a primeira edição contou apenas com produções nacionais.
Relativamente à programação da 16ª edição do festival de cinema de Arouca, Cátia Camisão, programadora do evento, destaca a formação como sendo a grande aposta.
"Este ano o Arouca Film Festival vai apostar na formação, será a grande bandeira deste ano da programação. Muito por força do contexto e cenário com que nos temos deparado, quer o publico escolar que começa a despertar para o cinema de autor e curtas metragens, quer da população em geral, procuram saber mais sobre este cinema que se faz por todo o mundo", explicou ao RV.
A formação estará divida em fases, uma para o 1º ciclo para explicar como se faz cinema, outra mais técnica e teórica para os 2º e 3ºciclo e ainda uma tertúlia sobre a importância do cinema no mundo actual para docentes, estendida a toda a comunidade.
"Queremos que estas formações tenham uma ligação, e permitam que o trabalho iniciado nesta edição do festival tenha continuidade ao longo do ano lectivo e que no próximo ano já tenhamos frutos", salientou a programadora.
Cátia Camisão esclareceu ainda a alteração da data do festival, inicialmente agendado entre 12 e 16 de Setembro (uma semana antes da data agora anunciada). A mudança é explicada por "vários factores", sendo "o principal a disponibilidade alguns convidados que estarão presentes" e também "o arranque do ano lectivo" que irá permitir envolver o Agrupamento Escolas de Arouca, bem como "receber outras escolas de fora do concelho".
O programa será divulgado uma semana antes do festival. "É essa a prática", informou a programadora, considerando que "será a melhor edição de sempre do festival".
Também João Rita acredita que será "uma grande edição de Arouca Film Festival", com "estreias mundiais", e "uma competição riquíssima, com um programa arrojado que fará as delícias de todos os espectadores".
O director do evento, que é licenciado em cinema, defende que a cinematografia nacional "está a crescer a bom ritmo e com grande qualidade" e que as produções do país "conseguem rivalizar com as grandes produções do exterior, grande parte delas com mais recursos que existem em Portugal.".
"O cinema português está muito diferente do tempo em que eu estudava, a minha percepção é que nesta altura o espectador já pode ir ao cinema ver bons filmes portugueses e comparar qualquer filme nacional com as grandes produções internacionais", contou.
O presidente do Cine Clube de Arouca salientou ainda a importância dos festivais de cinema na divulgação da sétima arte e da cultura, pois são "a prova de as pessoas se preocupam com a cultura e com o cinema, pois o cinema faz parte da vida e da história".
"O cinema português tem evoluído para levar o espetador ao cinema e este é o elemento essencial, era isto que nos faltava. Porque o cinema nasceu com as massas, é popular, é do povo, nasceu para criar emoções e por isso é que nós, este ano, vamos dar o nosso contributo abrindo o festival com um filme para o povo", reforçou o director do Arouca Film Festival.
À semelhança das edições anteriores, todas as atividades inseridas no programa da 16ª edição do festival de cinema de Arouca, entre 19 e 23 de Setembro, são de carácter gratuito.
 
Arouca

Segunda, 19 de Novembro de 2018

Actual
Temp: 11º
Vento: SE a 3 km/h
Precip: 0 mm
Muito Nublado
Ter
T 11º
V 6 km/h
Qua
T 9º
V 6 km/h
PUB.
PUB.
 
INQUÉRITO
Que área gostaria de ver reforçada nas GOP e Orçamento da CMA para 2019?
 
 
A Frase...

"Não discrimino nenhuma das antigas freguesias"

Ângelo Miranda, presidente da União de Freguesias de Arouca-Burgo", eleito pela coligação PSD/CDS, em entrevista ao RV

EDIÇÃO IMPRESSA

RSS Adicione ao Google Adicione ao NetVibes Adicione ao Yahoo!
PUB.
Desenvolvido por Hugo Valente | Powered By xSitev2p | Design By Coisas da Web | 34 visitantes online